Oficina inaugura trabalhos do 2º ciclo de ICV Global

Etapa de mentoring é a primeira do processo formativo proposto pelo GVces e pela Apex-Brasil para capacitar e preparar micros e pequenas empresas com atributos de inovação e sustentabilidade para atuar no comércio exterior 25/05/2016
COMPARTILHE

(foto: Milene Fukuda/GVces)
Local FGV-SP, São Paulo/SP; JUMP Brasil, Recife/PE
Data: 17-18 e 23-24 de maio de 2016 Projeto: Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global) Participantes: Representantes das empresas participantes do 2º ciclo de ICV Global Apresentação: Ana Coelho e Paulo Branco (GVces); Gilson Spanemberg, Maira Rodrigues, Monica Lobo e Tiago Terra (Apex-Brasil)
Texto: Bruno Toledo (GVces)

Micros e pequenas empresas e o desafio da exportação

Para o pequeno empreendedor, exportar não é uma tarefa fácil. Mais do que as dificuldades operacionais internas, para muitos o desafio maior é a definição de uma estratégia consistente e articulada de atuação em mercados externos potenciais.

Falta de conhecimento sobre o mercado consumidor em outros países, dificuldades de armazenagem e logística, bem como problemas na distribuição e assistência técnica de produtos no exterior complicam o desenvolvimento de uma cultura exportadora dentro dessas organizações de menor porte. Isso ajuda a entender o abismo que existe entre o pequeno empreendedor e as exportações brasileiras: dados do governo federal (2014) apontam que, a despeito de representarem mais de 44% do universo de empresas exportadoras do Brasil, as exportações de micro e pequenas empresas (MPE) compõem apenas 0,9% do total das exportações brasileiras.

No entanto, é exatamente este pequeno empreendedor que vem desenvolvendo soluções alinhadas com inovação e sustentabilidade, aspectos cada vez mais valorizados por mercados consumidores na Europa e nos Estados Unidos. Assim, abre-se uma oportunidade estratégica para as MPE brasileiras que já se dedicam a prover produtos e serviços que incorporam esses aspectos, mas que precisam se capacitar para ganhar mercados no exterior.

ICV Global

O projeto Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global), fruto de uma parceria entre o Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), tem como meta fomentar a internacionalização de MPE que se diferenciam por seus atributos de inovação e sustentabilidade.

Em seu primeiro ciclo (2014-2015), dez MPE foram selecionadas para oficinas de capacitação, com foco no aprimoramento dos atributos inovadores e sustentáveis de seus produtos e serviços, do comportamento empresarial e dos seus argumentos de vendas, além de apoio no desenvolvimento de uma estratégia corporativa de exportação.

Oficina de mentoring de ICV Global na FGV, em São Paulo (foto: Milene Fukuda/GVces)

”O projeto é uma oportunidade para o empreendedor brasileiro, pois cada vez mais o comprador internacional vê na sustentabilidade um importante atributo para sua decisão de compra e reconhece no Brasil um potencial fornecedor”, afirmou Paulo Branco, vice-coordenador do GVces.

Agora, em 2016, o projeto ICV Global inicia seu 2º ciclo, reunindo dessa vez 38 micros e pequenas empresas de todo o país. O pontapé inicial dos trabalhos aconteceu nos dias 17 e 18 de maio, na FGV-SP, com a realização da primeira oficina da etapa de mentoring do projeto, com a presença de 30 das MPE selecionadas pmentoring ara este ciclo.

Nos dias 23 e 24 de maio a mesma oficina foi replicada em Recife para as 8 empresas participantes do projeto instaladas na região Nordeste. O evento foi sediado na JUMP Brasil (aceleradora do Parque Tecnológico Porto Digital), que surgiu há pouco mais de um ano e vem se firmando como um ambiente de estímulo ao desenvolvimento de startups inovadoras e de alto potencial de crescimento.  A JUMP Brasil é a organização apoiadora do ICV Global no módulo de formação em Recife, sendo a anfitriã de todas as oficinas de mentoring e de aceleração de impacto na cidade.  

Mentoring

Na primeira etapa do projeto ICV Global, de mentoring, a equipe do GVces e da Apex-Brasil oferece oficinas de coformação para as empresas selecionadas, com o objetivo de criar e cultivar uma rede de trabalho para aprendizagem e desenvolvimento de práticas de negócio orientadas para a sustentabilidade.

Nessas oficinas, os empreendedores conhecem mais sobre os temas da sustentabilidade, enfocando as oportunidades de criação de valor e o posicionamento estratégico e diferenciado junto a mercados importantes para os produtos e serviços de cada organização. Este primeiro encontro teve como objetivo conhecer e diagnosticar a estratégia de posicionamento das empresas em mercados internacionais de interesse, com cada empresa apresentando seu portfólio e seus interesses potenciais de internacionalização.

Participantes da oficina de mentoring do projeto ICV Global na FGV, em São Paulo (foto: Milene Fukuda/GVces)

A preocupação do projeto é ajudar essas empresas no desenvolvimento e perenização de uma cultura de exportação alinhada à sua estratégia de negócio. “A motivação para exportação não pode ser passageira. Ela precisa derivar de uma decisão estratégica da empresa, alinhada aos seus demais interesses, e não ser fruto de capricho momentâneo”, argumentou Paulo Branco. “Por isso, desenvolver uma cultura exportadora dentro da empresa não é algo simples e rápido – isso exige tempo, dedicação e cuidado por parte do empreendedor”.

Impressões sobre o primeiro ciclo de ICV Global

Para inspirar os trabalhos das empresas participantes no 2º ciclo de ICV Global, a equipe do GVces e da Apex-Brasil convidaram duas das MPE participantes do ciclo inaugural do projeto para compartilhar suas experiências, impressões e aprendizados.

Samy Menasce, sócio da Brasil Ozônio, destacou as oportunidades de aprendizado e de construção de network abertas pela participação da empresa no projeto ICV Global. "Participar dessa iniciativa nos orientou e encurtou nossos caminhos para a internacionalização da nossa empresa", explicou Menasce. "O conhecimento adquirido aqui foi fantástico para nós, algo que nos permitiu melhor preparo para conversar com potenciais compradores, apoiado pela credibilidade da FGV e da Apex-Brasil".

Já Jefferson Adorno, sócio-fundador da Fazenda Retiro Santo Antônio, reforçou a importância do projeto ICV Global na definição da estratégia de internacionalização da empresa e na abertura de oportunidades de diálogo com potenciais compradores e investidores, como as rodadas de negócio e a missão comercial realizada pelo projeto na Califórnia (EUA), em junho de 2015. Para as empresas que entram agora em ICV Global, Adorno deixou uma dica. “Aproveitem cada minuto aqui, concentrem-se no trabalho desenvolvido neste espaço. Dediquem-se a este projeto, pois os resultados finais valem a pena para a empresa”.

Representantes de empresas e a equipe do GVces e Apex-Brasil na oficina em Recife (foto: Paulo Branco/GVces)

Na oficina em Recife, o projeto contou com a participação de outra empresa veterana do ICV Global, a SafeTrace, e da LoteBox, uma startup formada por jovens empreendedores pernambucanos que já nasceu internacionalizada e atende a mercados como EUA, China, Chile e Alemanha. "A nossa participação na Expo-Milão, a convite do projeto ICV Global, proporcionou contatos e relacionamentos fundamentais em um setor estratégico para a internacionalização da nossa empresa - o setor da pecuária", destacou Vasco Picchi, diretor executivo da Safe Trace.

Próximos passos

A 2ª oficina de mentoring acontecerá nos dias 15 e 16 de junho nas dependências da FGV, em São Paulo, e nos dias 21 e 22 de junho na aceleradora Jump Brasil, em Recife.

Nessa ocasião, os participantes darão continuidade ao preenchimento da metodologia canvas com foco em exportação com atributos de sustentabilidade, além de analisarem os resultados do questionário aplicado em cada empresa para avaliar suas práticas empresariais sob a ótica da sustentabilidade.